Quintessence of a Delirium / Quintessência de um Delírio

English below!!

Eu juro que não sabia que a flor da qual a baunilha é tirada é uma orquídea! Dá pra ver que eu não entendo nada mesmo desse assunto pois até o próprio gênero dessa flor nativa do México se chama… vanilla.

A baunilha é uma das minhas essências preferidas porque mesmo sendo doce, tem algo que eu espero poder chamar de “amadeirado” que torna seu odor quente e aconchegante. Por isso eu gosto de velas e óleos com esse cheiro, principalmente no inverno. Já faz tempo que eu quero escrever sobre cheirinhos para a casa mas me incomoda a idéia de não ter como incluir o próprio cheiro no blog! Como podem palavras e imagens traduzir algo que necessita de um sentido específico para ser captado? Pelo jeito, vou continuar com essa dúvida mais um pouco pois minha nova descoberta me fez querer voltar meu olhar hoje pra essa flor exuberante, pertencente a uma das maiores famílias de plantas que existe, resultando daí a quantidade aparentemente infinita de cores e formas com que a orquídea se apresenta.

gamanacasa Orchids New York Botanical Garden
Siga o link no fim do texto para mais fotos e créditos no blog Quintessence

A extração da baunilha é o único grande uso comercial da orquídea (pelas indústrias de alimentos e de cosméticos) mas mesmo assim, o fascínio que essa planta ornamental exerce é tão enlouquecedor que criou-se um termo específico para isso: orquidelirium!! Foi assim que se chamou na Era Vitoriana a febre de descobrir e colecionar orquídeas mandando exploradores rodar o mundo em busca de novas plantas.

Stacey Bewkes escreveu um artigo fantástico em seu life style blog Quintessence – um dos meus favoritos absolutos, que eu já recomendei em “Choque de estilos?” – a respeito do décimo quarto show de orquídeas promovido pelo Jardim Botânico de Nova Yorque, o New York Botanical Garden Orchid Show. O show desse ano foi dedicado justamente ao delírio causado pela flor nos ingleses da era vitoriana. Leia aqui esse artigo delicioso, cheio de fotos apaixonantes do show de orquídeas e assim encerramos, muito coloridamente, a semana verde do blog.

gamanacasa orchids coffee table

I swear I didn’t know that the flower from which vanilla is taken is an orchid! You can easily see I don’t understand anything about this matter since even the genus of this flower – native from Mexico – is called… vanilla.

That is one of my favorite fragances because even though it is sweet, there is something I hope I may call “woody” that makes its smell warm and cozy. That is why I love candles and oils with this scent, specially in winter. There has been a long time I want to write about room fragances but I don’t get confortable with the idea that I can not include the smell itself in the blog! How can I use words and images to translate something that even needs a specific sense to be captured? It looks like I will keep my doubts for a while because my new discovery made me drive my attention today to this exuberant flower, which belongs to one of the biggest plants families, therefore the apparently infinite number of colours and forms in which it appears.

gamanacasa orchid-at-NYBG-Orchidelirium-show
Follow the link below for more photos and credits at Quintessence blog

The extraction of vanilla is the only important commercial use of orchids (by food and cosmetic industries), nevertheless the seduction of this ornamental plant is so crazy that even a special word was created to designate it: orchidelirium!” That was how the fever to discover and to collect orchids (sending explorers around the world to bring new flowers) was called in the Victorian Age.

Stacey Bewkes wrote a fantastic article in her life style blog Quintessence – one of my absolute favorites, which I already recommended in “Style Crash?” – about the 14th New York Botanical Garden Orchid Show which was dedicated this year to this delirium caused by orchids over the british in the Victorian Age. Read here her delicious article, full of marvelous images of the orchid’s show and so we finish – very colourfully – the green week in this blog.

Gamanacasa Baunilha Códice Florentino 1580
Vanilla Orchid at Codice Fiorentino, 1580

3 comentários sobre “Quintessence of a Delirium / Quintessência de um Delírio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s